segunda-feira, 18 de agosto de 2008

NÃO, NÃO E NÃO À PEDOFILIA!

Gente, me perdõe pelas imagens tão fortes. Mas o assunto finalmente está na CPI (Comissão Parlamentar De Inquérito) e irão abrir inquéritos sobre vários casos a respeito. É MUITO SÉRIO. Isso atinge muitas famílias e pessoas que tem convívio e contato com crianças e adolescentes.
Precisamos ficar alerta e não tapar o Sol com a peneira.
Isso não é de hoje. Isso não é atitude somente masculinas. Isso não é somente problema da família dos outros. Isso não acontece apenas em classe social baixa (pobres). Isso, pode, não acontecer somente na casa do vizinho.
Não devemos ter medo de denunciar. Não devemos ter medo!!!!




Nunca confiem plenamente, nem mesmo dentro de casa. Confiem desconfiando!
Eu sempre ia ao supermercado comprar algo para minha mãe, e tinha entre 6 e 8 anos de idade. Um homem (funcionário do mercado, que devia ter uns 35 anos ou mais) sempre queria dar beijo no meu rosto. Eu odiava e nunca deixava. Uma vez fui com minha prima à esse mercado e lá estava ele novamente. Estávamos atravessando um corredor mais vazio do mercado para chegar ao corredor de um outro setor de produtos, e ele aproveitou e me agarrou para dar novamente um beijo no rosto. E deu. No rosto. Mas mesmo sendo no rosto, sabia que aquela atitude era errada, pois ele sempre procurava fazer em locais escondidos do estabelecimento para que ninguém visse.
Eu tremeia de ódio, nojo e medo. Tudo ao mesmo tempo. Tive medo. Juro que tive medo de contar para minha mãe. Achava que por ele ser adulto e eu criança, ela jamais acreditaria em mim, ou até mesmo que ele pudesse fazer algo de ruim , e pior que um beijo, comigo. Mas minha prima que estava comigo contou para minha mãe assim que chegamos em casa. Minha mãe ficou chocada e pediu que nunca mais fosse para lá sem um adulto por perto e que se acontecesse algo parecido novamente com qualquer pessoa, que eu contasse para ela.
Me senti aliviada, protegida, encorajada. E depois disso, todo tipo de atitudes suspeitas vinda de homens mais velhos eu sempre deixava de frequentar o local e principalmente contava para minha mãe.
Sei plenamente como uma criança sente quando isso acontece. Ela sabe que é errado, mas por estar com um adulto, as pessoas nunca irão acreditar e muitas vezes acham que a culpa é dela mesmo. Ou até sofrer ameaças. Elas podem até gostar da situação e achar que são "adultas" para tanta atenção de tal abuso que elas nem sabem que estão sofrendo, acham que é elogio, que a estão achando bonita, inteligente, menos infantil que outras crianças ou adolescentes, mais esperta...
TEMOS QUE PROTEGER AS CRIANÇAS! ISSO TEM QUE PARAR! NÃO PODEMOS PERMITIR ISSO.



Até mesmo publicidade com crianças em posições que não necessitam ser de tal maneira. Criança é criança e não precisa ficar fazendo poses de top model. Por mais consagrado que seja o fotógrafo (a), existe um assunto muito delicado por trás, em se tratando de estética e atitudes infantis mal interpretadas por gente mal intencionada.

No geral, o recado é, apenas fiquem atentas, isso é realidade e acontece quando a gente menos espera e acredita. Elogios excessivos por parte de adultos, exigências de beijos no rosto que crianças não quer dar naquele parente ou amigo, ou tio. Presentinhos contínuos, promessas de passeios à sós em locais que a mãe não pode ou nunca quis levar...

Prevenção protege muita situações e tragédias!

Sejam mães!

Sejam protetoras!

Postar um comentário